Surge um Novo Tipo de Publicidade: A «Publicidade Nativa». Você Sabe O Que É?

Por Redacción

Se você quiser atrair seus clientes online, você deve dar a eles mais do que eles querem: conteúdo. Nos últimos meses, os anunciantes estão se tornando conscientes disso e implementam suas práticas através de conteúdo patrocinado.

Ao contrário de uma publi-reportagem ou publi- nos meios tradicionais, a publicidade nativa – característica de mídia digital,  é apresentada como um conteúdo alinhado com o tom e o estilo editorial da publicação ou site, desde que o tipo de informação dada seja a que a audiência da publicação espere.

publicidad_nativa

Em vez de interromper o usuário com banners, a publicidade nativa «busca se conectar com ele para enriquecer a sua experiência através de um conteúdo digital verdadeiramente relevante.»

O que se considera uma «publicidade nativa»?

De acordo com o  IAB, a publicidade nativa pode ser classificada nos seis seguintes formatos:

1 – Anúncio integrado ao conteúdo editorial

Esse formato pode ter diversas variantes:

  1. Conteúdo criado em conjunto pelo anunciante e a equipe editorial da mídia que, por sua vez, se integra com outros links de conteúdo e a se atrela a outras páginas dentro do site como qualquer editorial.Exemplos: Forbes, Mashable.
  2. Links patrocinados incorporados ao conteúdo editorial e que apontam para outras páginas(a página da marca, por exemplo). Exemplos: Youtube, Facebook, Twitter.
  3. O conteúdo do anúncio integradocom a mesma aparência da página editorial e permite que a pessoa a interagir com ele (jogar, ler, assistir…) sem sair da página. Exemplos: Twitter, Instagram.

2 – Anúncios em pesquisas

Esse formato é tido como destaque nos resultados de busca, chegando perto ou superando os resultados naturais, incluindo uma página de aviso de identificação de links externos. Exemplos: Google, Bing, Yahoo.

3 – Widgets de Recomendação

Também são uma forma de publicidade em que o anúncio nativo ou o conteúdo patrocinado é integrado à página e tem a aparência do conteúdo editorial, ligando-se externamente com expressões do tipo «você pode estar interessado», «sugerimos». Exemplos: Outbrain, Taboola.

4 – Listas Promocionais

Formato usado em lugares que não têm espaço editorial, mas produtos ou serviços. Esse formato é diluído na experiência de navegação, aparecendo idênticos aos produtos ou serviços oferecidos no site e ligados a uma forma específica de website. Exemplos: Etsy, Fousquare, Amazon.

 

5 – anúncios-padrão integrados com elementos nativos

Anúncios posicionados fora da área e com publicação de conteúdo relevante que liga a página da marca com uma contextualização externa. O olhar deve ser semelhante ao display de ads, rotulando-se de modo a distinguir o conteúdo de página normal. Exemplos: Onespot.

6 – Publicidade similar à nativa

Formatos de projeto, definidos entre o anunciante e os editores e equipe de mídia que não se encaixam nos formatos acima, e podem assumir muitas formas criativas diferentes. Exemplos: Flipboard, tumblr, Spotify.

Benefícios a todos os publicitários nativos envolvidos: as marcas e agências referentes à forma mais relevante e atraente para se chegar ao seu público-alvo, os editores ganham dinheiro com a venda de conteúdo de marca para os anunciantes e os consumidores têm mais do conteúdo que eles estão procurando.

Quem está apostando na publicidade nativa?

De longe, as mídias digitais são os principais jogadores por trás dessa nova forma de publicidade. De fato, 62% dessas plataformas atualmente oferecem publicidade nativa.

Um dos meios mais reconhecidos de comunicação, cujo modelo de negócios é suportado pela publicidade nativa, é o BuzzFeed. Atualmente, são mais de 700 marcas que estão apostando aposta na publicidade nativa em favor da obtenção de mais ações e tráfego para seu site. Entre eles estão: Captain MorganVirgin MobileMini CooperPepsi eHarper Collins .

Outros meios de comunicação digitais mais diversificados também estão nessa onda, como é o caso de: The Huffington Post, Forbes (com BrandVoice), Mashable (via elevação social ) e até mesmo The Onion, que são alguns dos meios que estão comprometidos com o conteúdo e com «o futuro da publicidade.»

O aumento da publicidade nativa

Nesse contexto, a MDG Advertising desenvolveu um infográfico que explica esse novo fenômeno e revela algumas estatísticas interessantes.

Como a propaganda afeta marcas nativas e os consumidores?

  • 70% dos consumidores querem saber mais sobre um produto por meio de conteúdo em vez de banners publicitários.
  • 75% dos meios digitais oferecem atualmente alguma opção de publicidade nativa em seus sites e 90% dizem ter considerado ou considerar seu uso.

O que motiva marcas nativas, a ponto de essa publicidade ser usada sobre outras formas de publicidade tradicional?

  • 67% das marcas nativas usam a publicidade com o intuito de fornecer uma mensagem mais relevante.
  • 63% usaram anúncios nativos para aumentar a participação do consumidor.
  • 62% deverá gerar consciência de marca.

Como marcas de mídia sucesso de uma publicidade nativa?

  • 70% de marcas e 66% dos editores medem o sucesso pelo tráfego.
  • 44% marcas e 49% dos editores medem o sucesso pelo compartilhamento nas redes sociais.
  • 62% das marcas medem o tempo de interação com o conteúdo.

Anúncios nativos são melhores de executar do que os banners tradicionais

A intenção de compra dos nativos que clicam em anúncios é de 52%, em comparação com 34% para banners.

  • Pessoas que clicam em anúncios representam fidelidade à marca mais nativa (32%) do que aqueles que clicam em banners (23%).

O futuro da publicidade nativa

  • Mobile:colocar sua marca na publicidade nativa no centro das telas móveis.
  • Aplicativos de fotos e vídeos: com 43% dos usuários globais da Internet compartilhando fotos, com aplicativos como o Instagram, o Pinterest, a possibilidade do fornecimento de publicidade nativa é impreterível.
  • Mídias Sociais: apublicidade que é esperada para o mercado em redes sociais, incluindo telefones celulares, chegará a US $ 11 bilhões em 2017 e 42% desse investimento vai para a publicidade nativa.
  • Monitoramento: espera-se que aComissão Federal de Comércio acompanhe de perto a publicidade nativa, bem como sejam elaboradas diretrizes de ajuste com base nisso.
  • Escala: redes de publicidade aumentar a incorporação de conteúdo nativo em sites que têm como alvo cliques de conteúdos patrocinados.

Com altas taxas de engajamento para a marca e os recursos para gerar novas receitas para a mídia, a publicidade nativa vem como uma grande oportunidade para os comerciantes e para as editoras. O que você acha sobre essa forma de publicidade com conteúdo?

[Total:0    Promedio:0/5]

Deja un comentario

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *